Retornar a página Inicial Acompanhe a Síntese no FacebookAcompanhe a Síntese no TwitterAcompanhe a Síntese no YoutubeAcompanhe a Síntese no LinkedinAcompanhe a Síntese no SlideshareAcompanhe a Síntese no Orkut

Penalvoltar

Tamanho do textoDiminuir tamanho da letra Aumentar o tamanho da letra

Publicado em 19 de Outubro de 2012 às 11h26

TJRJ - Justiça decreta prisão de quadrilha de roubo de cargas em Itaboraí

O juiz Marcelo Alberto Chaves Villas, da Vara Criminal da Comarca de Itaboraí, recebeu a denúncia do Ministério Público estadual e decretou a prisão preventiva de 13 homens acusados de pertencer a uma quadrilha de roubos de carga atuante nos municípios de Itaboraí e de Tanguá.

 

Os réus são: Márcio Teixeira Albuquerque (vulgo Vovô), Edmilson Reis Moura, Ulisses dos Reis Vasconcelos, Alessandro Marques Rodrigues (vulgo “Anãozinho”), Ednaldo Carvalho da Silva (vulgo “Eddi e Paulista”), Gustavo da Silva Borges (vulgo “Melão”), Maurício Macedo Rodrigues (vulgo “Mauro”), Marcelo da Silva Paz, Luiz Antônio da Conceição Santos (vulgo “Sabão”), Wanderson Tatagiba Corrêa (vulgo “Anderson”), Angelo Eduardo dos Santos Peixoto, Vanderlei dos Reis (vulgo “Vando”), e Ronald de Paula Bom (vulgo “Roninho”).

 

Na decisão, o juiz ressalta que, através da análise dos autos e dos depoimentos, existe prova preliminar da existência material dos delitos e indícios da autoria. Ele destaca que os fatos são gravíssimos e merecem melhor e mais acurada apuração.

 

“Por ora, se justifica o encarceramento provisório dos acusados, como garantia da ordem pública, em cujo conceito se inclui, consoante caudalosa orientação jurisprudencial, a necessidade de prevenir a reprodução de fatos criminosos e preservar a credibilidade da Justiça, visto que, no caso concreto, trata-se de elementos envolvidos com o crime organizado, buscando-se com esta medida evitar o risco de novos crimes por parte deles; por conveniência da instrução criminal, pois as testemunhas, poderão justamente sentir-se atemorizadas, se eles permanecerem em liberdade; e, finalmente, para assegurar a aplicação da lei penal, posto que, as circunstâncias indicam seguramente que os acusados evadir-se-ão do distrito da culpa, tomando rumo ignorado”, completou.

 

O magistrado também mandou expedir Mandado de Busca e Apreensão, conforme parecer favorável do MP, “a fim de serem recolhidos objetos que sirvam de elementos de convicção quanto à prática de ilícito penal, tais como armas ou quaisquer outros objetos que tenham ligação com os fatos ora apurados”. Ele ainda determinou o bloqueio e quebra de sigilo bancário dos réus e decretou o sequestro dos bens do denunciados.

 

Nº do processo: 0001520-04.2012.8.19.0023

 

Fonte: Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro

Tamanho do textoDiminuir tamanho da letra Aumentar o tamanho da letra
Retornar ao topo