Retornar a página Inicial Acompanhe a Síntese no FacebookAcompanhe a Síntese no TwitterAcompanhe a Síntese no YoutubeAcompanhe a Síntese no LinkedinAcompanhe a Síntese no Slideshare

Administrativo / Ambientalvoltar

Tamanho do textoDiminuir tamanho da letra Aumentar o tamanho da letra

Publicado em 16 de Agosto de 2017 às 15h00

C.FED - Comissão de Meio Ambiente discute matriz energética nacional

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável realiza audiência pública hoje para debater a matriz energética nacional e as perspectivas futuras.

O deputado Nilto Tatto (PT-SP) solicitou o debate. O Brasil possui a matriz energética mais renovável do mundo industrializado com 45,3% de sua produção proveniente de fontes como recursos hídricos, biomassa e etanol, além das energias eólica e solar, afirmou Tatto, ao lembrar que, para o período 2008-2017, o País indica aportes públicos e privados da ordem de R$ 352 bilhões para a ampliação do parque energético nacional.

Após o encontro de Paris, o Brasil comprometeu-se a reduzir gradativamente as emissões de gases de efeito estufa. Para dar consecução a estas metas o País se compromete a aumentar a participação de bioenergia sustentável na sua matriz energética para aproximadamente 18% até 2030, restaurar e reflorestar 12 milhões de hectares de florestas, bem como alcançar uma participação estimada de 45% de energias renováveis na composição da matriz energética em 2030, destacou o deputado.

Para o debate foram convidados:

- o diretor de Relacionamento com a Sociedade do Instituto Escolhas, Sérgio Leitão;

- o membro do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) Luiz Pinguelli Rosa;

- o diretor técnico da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeolica), Sandro Yamamoto;

- o presidente do Conselho Administrativo da Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Energia Elétrica (Apine), Guilherme Jorge Velho;

- e o presidente executivo da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), Rodrigo Lopes Sauaia.

O encontro está marcado para as 14 horas, no plenário 11.

Fonte: Câmara dos Deputados Federais

Tamanho do textoDiminuir tamanho da letra Aumentar o tamanho da letra
Retornar ao topo